terça-feira, 17 de julho de 2018

Cirurgia refrativa: O problema

Olá querido(a)!
Hoje vim aqui contar tudo sobre a minha cirurgia refrativa, ou cirurgia de miopia. Já estou querendo falar sobre isso aqui no blog a algum tempo,já que fiz a cirurgia em janeiro, porém não sabia como começar. Por isso decidi que essa série será dividida em três postagens (saíra uma por semana aqui no blog): "O problema", que no caso é a postagem de hoje, em que irei contar a minha história com o problema de visão; "O dia D" em que irei contar sobre todo o pré-operatório e a cirurgia em si; "O depois" em que irei contar sobre o pós-operatório e mais algumas coisas que aconteceram comigo depois da cirurgia.


Muita gente que conheço começou com seus problemas de visão quando eram criancinhas, mas comigo foi diferente, meu problema apareceu na adolescência. No final do meu oitavo ano escolar é que descobri o problema. Na verdade a coisa toda começou antes disso, mas só lá pelo final de 2008. Quando meu desempenho escolar começou a cair e eu comecei a reclamar de constantes dores de cabeça. Mas pra mim, eu não enxergava mal, e sim que todos enxergavam como eu. E é bizarro, que tiveram que acontecer várias coisas até eu e minha família decidirmos ir ao médico para resolver o problema.

Quando fui ao médico foi constatado que eu tinha problema de visão, e o grau era bastante alto para alguém que nunca teve problemas coma questão de enxergar. Se não me engano eu tinha mais de 3 graus de miopia em cada olho, sem contar que também possuía algum grau de astigmatismo. 

No primeiro ano com o problema usei apenas óculos, já no final de 2009 fui apresentada ao mundo maravilhoso das lentes de contato e comecei a usar lentes de cor azul com grau. Com os anos passando, o grau foi aumentando. A lente colorida começou a me dar muitas alergias, já que possuía corante e modelo rígido. No fim de 2012 aderi a lentes de contato descartáveis, antialérgicas, gelatinosas e sem cor. Só sei que no fim de 2013 eu já contava com um pouco mais de 6 graus de miopia em cada olho e mais uns 2 graus de astigmatismo também. 

Confesso que de 2013 a 2016 meus olhos começaram a rejeitar as lentes de contato de tal forma que  a única solução viável era fazer a cirurgia, já que eu não estava conseguindo me adaptar aos óculos (passei anos usando lentes de contato). Como meu grau não aumentava fazia uns 2 ou 3 anos, meu médico liberou a cirurgia em 2016 (quando já estava prestes a fazer 21 anos, que é a idade recomendada para a cirurgia). Claro, que fizemos alguns exames para chegar a conclusão que eu teria chance de fazer a cirurgia, mas ele disse que eu teria que fazer outros que o cirurgião iria pedir.


Foi indicado para mim alguns médicos, mas foi difícil até conseguir marcar consulta com algum. Marquei consulta com um que meu médico indicou. Tive que ir para outra cidade fazer a consulta e fiz todos os exames no mesmo dia. O médico me liberou para a cirurgia, porém me cobrou R$ 650,00 reais em cada olho, somando um total de R$ 1300,00 (sendo que tenho plano de saúde e o plano cobre a cirurgia, esse dinheiro foi cobrado por fora). Me ligaram na outra semana um dia antes avisando da cirurgia, mas não fui por muitos motivos (morar longe, ter que me preparar ficando alguns dias sem usar lentes de contato, etc). Depois esperei por meses e nunca me ligaram. Liguei várias vezes e nunca marcavam. Hoje posso dizer que as coisas deram errado porque tinham que dar, já que o médico não me passou confiança e ainda tinha essa história de "pagar por fora".

Voltei no início de 2017 ao meu médico sem a cirurgia feita e com muitas alergias nos olhos. Ele me deu o pedido de cirurgia novamente e falou pra eu tentar com esse médico, já que já tinha feito todos os exames. Liguei e disseram que não aceitavam mais meu plano de saúde, e isso acabou comigo. Desisti da cirurgia depois disso.

No começo do segundo semestre de 2017 voltei ao meu médico com uma alergia muito forte nos olhos, já estava a mais de um mês sem usar lentes de contato. Fui para resolver a alergia, mas também fui com uma opção de hospital para fazer a cirurgia (uma pessoa tinha me indicado). Ele falou que eu podia ver sim nesse hospital que era bom, mas me deu o nome de um outro médico.

Resolvi seguir minha intuição e ligar para o hospital, que foi o que eu tinha pesquisado. Foi aí que essa história da cirurgia começou a criar forma realmente. Vou contar tudo sobre isso e a cirurgia em si na próxima postagem.

Gostou de saber um pouco da minha história com a miopia? Não esqueça de acompanhar as próximas postagens sobre o assunto!

Beijoos ;*




7 comentários:

  1. Estou louca para fazer essa cirurgia tha.
    não vejo a hora de ler os outros posts.
    bjsss
    www.andressamonteiroblog.com

    ResponderExcluir
  2. Fiquei bem curiosa sobre a cirurgia!
    Aguardo o próximo post!

    - Conheça meus blogs:
    Blog Meu Baú de Estrelas
    Blog Bilhetes de Busan

    ResponderExcluir
  3. Também tenho miopia desde os 8 anos de idade e astigmatismo a não muito tempo, uso lentes de contato a 23 anos e graças a Deus nunca tive alergia.
    Que bom que vc fez a cirurgia, vou aguardar os próximos posts.
    Beijos
    Jana Makes Esmaltes e Cia
    Instagram
    Facebook

    ResponderExcluir
  4. Ah que legal <3
    Adoro ler casos assim..
    Eu não posso fazer cirurgia por conta do meu nistagma, mas vivo torcendo para surgir uma possibilidade rs

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  5. Não tem nada pior do que não sentir confiança em um médico, que bom que você encontrou outra pessoa para fazer, estou ansiosa para conferir o segundo post!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  6. Thais, eu não tenho problemas (ainda) de visão, mas imagino o quão ruim deve ser.
    Esse primeiro médico foi sacana, hein? Além do convênio que você já paga, ter que desembolsar a mais pela cirurgia? Ainda bem que não fez com ele!

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir