sábado, 30 de novembro de 2019

Sessão pipoca: After

Olá querido(a)!
O filme escolhido para a sessão pipoca de hoje foi After.


Sinopse: Tessa Young é uma jovem de 18 anos que acaba de ingressar na faculdade. De roupas recatadas e bastante ingênua, ela é apresentada ao mundo das festas através de sua colega de quarto, Steph, bem mais liberal. Logo conhece Hardin, um jovem rebelde que renega o amor, apesar de ter lido os principais romances sobre o tema. Aos poucos os dois se aproximam, iniciando uma ardente paixão.

Gênero: Drama, Romance.


Assisti esse filme super por acaso, porque sempre que entrava no Prime Video ele aparecia como sugestão. Fiquei com um pé atrás, mas resolvi dar uma chance. Me apaixonei por ele e acabei descobrindo que foi inspirado em um livro, que na verdade é uma série.

De cara eu curti o filme: um romance do tipo que eu gosto, com uma pegada adolescente (apesar de se passar na faculdade) e um enredo bacana. Eu fiquei apegada ao filme e assisti mais algumas vezes, porque da primeira eu não prestei muita atenção. O casal é aquele clichê: o badboy com a mocinha "sem graça" (apesar dela ter personalidade), e eles brigam o tempo todo até finalmente começarem a se apaixonar. O final é bem tenso e envolve uma coisa que sempre tive medo a vida inteira e sempre desconfiava dos boys: aposta! É basicamente isso a história e pra quem gosta de romances com essa pegada que falei no início, vai curtir. Depois que li os livros fiquei um pouco chateada com o filme, porque várias coisas mudaram e aí percebi que o filme ficou meio confuso por isso. Muitos personagens não fazem sentido e outros mudam de papéis, mas pra quem não leu o livro, ok. Algumas cenas também foram bem atenuados, tipo as partes quentes já que não era pra ser um filme mais adulto tipo Cinquenta Tons de Cinza. Até a aposta foi mais atenuada. No livro as coisas são bem mais pesadas e a história é bem mais intensa (em breve vou trazer a resenha deles por aqui).

Indico esse filme pra quem quer ver aqueles romances com dramas bem adolescentes, mas que são bem gostosinhos de assistir. Mesmo gostando mais do livro, o filme não é tão diferente assim.


Você já assistiu esse filme? Deixe um comentário falando o que achou sobre ele e sobre a sessão pipoca de hoje, vou adorar saber a sua opinião :)

Beijoos ;*

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

Resenha literária: Pare de se odiar

Olá querido(a)!
A resenha literária de hoje é sobre o livro Para de se odiar: Porque amar o próprio corpo é um ato revolucionário.



Sinopse: O livro de estreia de Alexandra Gurgel, youtuber do canal Alexandrismos com mais de 300 mil inscritos. Alexandra Gurgel, criadora do canal Alexandrismos no Youtube, é conhecida por abordar em seus vídeos temas como autoaceitação, o movimento body positive, autoestima, relacionamentos e a luta contra a gordofobia. Em Pare de se odiar a autora tem como objetivo ajudar suas leitoras a trilharem o caminho do amor-próprio e o da construção de uma autoimagem mais positiva, entendendo como a sociedade em que vivemos interfere diretamente na relação que temos com o nosso corpo. Alexandra, que tem sido uma das vozes mais atuantes do movimento body positive no Brasil, traz no livro uma mensagem honesta e acolhedora, a partir de sua experiência pessoal para mostrar que amar o próprio corpo é, de fato, um dos atos mais revolucionários deste século.

Assunto: Autoajuda, Felicidade.

Editora: Best Seller.

Páginas: 154.

Ano: 2018.

Sobre a autora: Alexandra Gurgel é formada em Jornalismo pela PUC-RIO e, depois de 10 anos atuando na área decidiu empreender e criou seu canal do YouTube, Alexandrismos. A carioca, que vive em São Paulo, divide o seu tempo entre a carreira de youtuber e empresária como sócia-fundadora da Volume, um coletivo body positive que conta com festa, marca de roupa entre outros projetos. A Xanda, como é conhecida por seus seguidores, iniciou seu processo de autoaceitação e empoderamento em 2015 e já é referência na discussão dos mais diversos temas que envolvem feminismo, body positive e gordofobia. Apesar do bom-humor constante, a ativista não hesita em tocar em assuntos espinhosos e importantes, como transtornos alimentares, depressão e os outros distúrbios causados pela sociedade machista e gordofóbica em que vivemos.





Esse livro eu comprei porque já estava desejando desde que lançou. Esses dias vi que estava mais barato e acabei adquirindo.

A capa possui fundo branco e é bem simples: podemos ver uma foto da Alexandra, o título e mais algumas informações. A diagramação é boa. A leitura foi super rápida, já que é um livro curto.

O que eu posso dizer sobre esse livro? Perfeito, um cristal sem defeitos! Eu não imaginava que ia gostar tanto. A Alexandra é uma pessoa que me fez despertar para algumas causas e situações que eu nunca tinha parado para refletir, e esse livro me fez ter certeza que eu concordo e defendo o movimento body positive. O livro trata basicamente da questão do body positive, que é amar o seu corpo independente de como ele é. O livro levanta várias questões de situações do dia-a-dia em que as pessoas julgam o corpo alheio, e tudo isso faz a gente refletir. O livro também fala sobre amor próprio e feminismo. Um livro que faz a gente repensar sobre a sociedade em que vivemos e sobre como nós mesmos enxergamos o mundo e as pessoas.

Recomendo esse livro para quem quer entender um pouco mais sobre o movimento body positive e pra quem quer se amar independente de qualquer coisa. Um livro mais indicado para mulheres, mas acho importantíssimo homens também lerem.

Esse livro eu comprei na Amazon e paguei 18,99 nele.

O que você achou da resenha? Já leu esse livro? Tem interesse em ler? Deixe seu comentário aqui embaixo, estou doida para saber a sua opinião!

Beijoos ;*

quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Leitor digital X Livro impresso

Olá querido(a)!
Hoje vim aqui fazer uma postagem comparando o leitor digital com o livro impresso. Sou uma pessoa que leio os dois e confesso que não tenho um preferido, mas um deles é mais cômodo para mim. Já falei um pouco sobre leitores digitais aqui no blog e sobre o meu leitor digital, e sei que todo mundo tem muita curiosidade sobre o assunto. Na época em que fiz as postagens tinha acabado de adquirir o meu Kindle, então não tinha muito o que falar. Hoje consigo comparar melhor os dois. Então vem comigo!

LEITOR DIGITAL


Vantagens: Ele é leve, pequeno e fino, ou seja, dá pra levar na bolsa. O acabamento da tela parece uma folha de papel (não brilha). Possui luz embutida que permite a leitura em qualquer lugar (até no escuro). Você pode ter uma biblioteca em um único dispositivo, já que dá pra armazenar muitos livros. Você economiza, já que livros digitais são mais baratos (e também tem sites que disponibilizam livros de graça no formato do dispositivo). Dá pra fazer marcações nas partes que você quiser (e depois você consegue encontrar fácil as partes que você marcou). A bateria dura bastante. Também é legal para quem estuda e quer ler arquivos em PDF. É melhor para o meio ambiente.

Desvantagens: Não é colorido, o acabamento é em preto e branco (então livros coloridos não dão certo aqui). Não temos aquela experiência do toque e textura do livro. Alguns livros são mais caros em sua versão digital (pelo menos aqui no Brasil eu tenho percebido isso). Alguns livros não possuem versão digital, ou ela sai bem depois do lançamento. Apesar de a bateria durar bastante, se você lê muito nele uma hora vai ter que colocar para carregar (e às vezes é naquele momento decisivo do livro).

LIVRO IMPRESSO


Vantagens: Temos todo o design do livro que muitas vezes conta muito na hora da compra (capa dura, edições especiais...). Livros coloridos geralmente são lindos. Você consegue achar os lançamentos facilmente. Dá pra folhear. Tem o cheiro do livro, a textura e tudo mais. Ter o livro na prateleira é sempre bacana. Não precisa carregar bateria.

Desvantagens: Não é tão fácil de carregar por aí, porque geralmente são pesados (sem contar que podem amassar e tudo mais). Não dá pra ler no escuro, necessitando de luz externa. Você praticamente só anda com um livro de cada vez, se não cai naquilo que já falei do peso. Livros físicos são mais caros, porque o gasto é maior para a sua produção. A gente morre de pena de marcar partes que gostamos no livro, porque achamos que vamos "machucá-lo". Não é tão bacana para o meio ambiente.


Conclusão: Começo dizendo que tinha bastante preconceito com leitores digitais até, de fato, adquirir o meu. Depois que comecei a utilizá-lo gostei bastante. Tenho que dizer que o leitor digital me ajudou a fazer mais leituras pela praticidade, já que consigo carregar para todos os lugares e ler antes de dormir. Isso não quer dizer que eu não leia mais livros, na verdade comprei muitos livros nos últimos tempos também. A minha dica é usar os dois aliados um ao outro: livros que valem a pena ter na sua prateleira você compra, livros que não são tão importantes você utiliza o leitor digital. Sem contar que o leitor digital serve para você colocar material de estudo, o que já vale bastante a pena para quem é estudante. Acho válido utilizar os dois, de verdade. Não sei escolher qual o meu preferido, mas devo dizer que acabo lendo muito mais coisa pelo leitor digital. Foi uma das minhas melhores compras e valeu cada centavo. Já li mais de 100 livros nele e tenho armazenados quase 1000.

E você? Prefere leitor digital ou livro impresso? Me conta aí nos comentários!

Beijoos ;*


quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Resenha literária: Diário de um Banana 13

Olá querido(a)!
A resenha literária de hoje é sobre o livro Diário de um Banana 13 - Batalha Neval.



Sinopse: Quando a neve fecha a escola, o bairro se transforma num verdadeiro campo de batalha invernal. Grupos rivais lutam por território, constroem enormes fortes de gelo e se envolvem em épicas guerras de bola de neve. Na linha de tiro estão Greg Heffley e seu fiel amigo Rowley Jefferson. Em luta pela sobrevivência, os dois soldados fazem e desfazem alianças e enredam-se em traições. Gangues em permanente estado de hostilidade vão derreter a vizinhança. E será que, quando a neve se liquefazer, Greg e Rowley surgirão como heróis? Ou não vão conseguir escapar dessa gelada?

Assunto: Literatura Infantojuvenil, Série.

Editora: V & R.

Páginas: 224.

Ano: 2018.

Sobre o autor: Jeff Kinney começou a carreira desenvolvendo jogos on-line. Em 2007, lançou a série Diário de um Banana, que já liderou a lista de livros mais vendidos do The New York Times. Dois anos depois, a revista Time indicou Jeff como uma das 100 Pessoas Mais Influentes do mundo. É o criador do elogiado site de jogos on-line Poptropica. Passou a infância em Whashington, D.C. e, em 1995, mudou-se para New England. Hoje, Jeff mora no sul de Massachusetts com a mulher e os dois filhos, onde está abrindo uma livraria.


Esse daqui é aquele livro que eu coleciono a anos. Comprei esse que estava doida para ler e ainda não tinha em minha coleção. 

As capas dos livros Diário de um Banana sempre tem muito a ver com o tema tratado no livro, e esse meu possui capa dura. Temos o nosso protagonista como um boneco de neve na capa, já que trata de uma história que ocorreu no inverno. A cor roxa não influencia em muita coisa, já que cada livro possui uma cor diferente mesmo. A diagramação é muito boa, um dos livros mais bem feitos que eu já vi. Possui 224 páginas que dão para ser lidas em 1 hora.

Esse é um tipo de livro que sempre me agrada, tanto pela história quanto pelo tempo que demoro para ler. Não é um livro de quadrinhos, mas tem muitos desenhos. Esse é um dos diários do Greg, e esse narra algumas aventuras dele no inverno. O que eu gosto são das piadinhas inocentes e relembrar de como a cabeça de uma criança funciona. O Greg só se mete em confusão e leva a gente a relembrar a infância. Nessa história ele narra acontecimentos na rua da sua casa e alguns na escola também.

Eu indico esse livro para quem está procurando algo rápido e fácil de ler. Uma história gostosinha para passar o tempo e se divertir um pouco.


O que eu acho mais legal nesse livro é que mistura trechos narrados com desenhos, e de vez em quando até coisas que lembram quadrinhos.

Comprei o meu na Amazon e paguei R$ 23,98 nele.

O que você achou da resenha? Já leu esse livro? Tem interesse em ler? Deixe seu comentário aqui embaixo, estou doida para saber a sua opinião!

Beijoos ;*

terça-feira, 26 de novembro de 2019

Sozinha no escuro

Olá querido(a)!


Vim contar uma história real de uma mulher em uma noite sem energia elétrica. Qualquer semelhança com a realidade não é mera coincidência. Preste atenção e boa leitura!

Naquele dia trovoou o dia inteiro, mas nada da chova vir. Até que às 19:00 tudo começou. Caía o mundo naquele dia e às 19:30 a luz acabou. Os barulhos da chova forte ecoavam pela casa inteira e davam um tom sombrio ao ambiente já escuro, iluminado apenas por duas luminárias a pilha. Parecia que o mundo estava acabando lá fora, que a casa ia cair sobre sua cabeça. Chovia granizo, mas ela nem viu, afinal não havia luz.

As horas passavam e nada da luz voltar. Entre goteiras, mosquitos e calor insuportável, se manteve na sala de estar jogada no sofá. No início conversava com sua irmã, mas quando a mesma dormiu ficou sozinha com seus pensamentos. Dificilmente ela passava o tempo inteiro matutando sobre as coisa, já que sua cabeça sempre estava ocupada com celular, televisão, computador... O resumo da vida moderna: tanta coisa para fazer ao mesmo tempo que nem dá tempo pra pensar sobre nada.

Estava lendo em seu leitor digital, já que essa era a única coisa que dava para fazer enquanto a luz não voltava. As horas passavam, mas nem sinal de que a luz poderia voltar. O celular, já quase sem bateria, já perdera o sinal da operadora havia horas. Estava totalmente sozinha. Incomunicável. A sensação de solidão batendo no fundo da alma. Pensava em mil coisas ruins que poderiam acontecer e não conseguiria pedir ajuda. Peças que a mente prega na gente.

Quanto mais tarde ficava, maia os pensamentos viajavam. O livro não ajudava muito. Um romance. Ele a fez se lembrar de momentos com ele, aquele que sempre quebrou seu coração. Tentava adivinhar o porquê de suas atitudes, seus pensamentos. Meu Deus, que loucura! Pra que voltar nisso de novo? Continuou lendo o livro e pensando no amor que nunca aconteceu. Nunca floresceu. As 3:00 da madrugada resolveu ir dormir, mesmo no calor. Não tinha opção. Estava cansada demais para continuar lendo e se martirizando. ZzZzZzZzZ.

Ás 6:00 da manhã acordou. Ainda sem luz. Já não aguentava mais, mas tinha mais o que fazer. Foi organizar a bagunça da cozinha do dia anterior. A luz voltou as 7:30, que felicidade! Vamos colocar tudo na tomada e começar um novo dia.

Beijoos ;*

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Resenha literária: Como eu sobrevivi aos anos 90

Olá querido(a)!
A resenha literária de hoje é sobre o livro Como sobrevivi aos anos 90: Histórias reais de uma década surreal.



Sinopse: Consultei Walter Mercado que consultou a Mãe Dinah que consultou o Cadê? que consultou o Google e posso garantir que neste livro você encontrará: Artefatos eletrônicos de fazer inveja aos macacos de 2001 – Uma odisseia no espaço; músicas infantis apropriadas para adultos; programas para adultos apropriados para crianças; fliperamas rodeados de figuras aterrorizantes fumando; raves e festinhas infantis tocando axé; uma senhorita mascarada depilando jovens em horário nobre; apresentadora infantil tirando a roupa no palco; rainha para baixinhos, altinhos e idosos espertinhos; pagode, axé, rock, pop e poperô; histórias sobre botecos obscuros frequentados por menininhos; homens e mulheres sapiens seminus caçando sabonetes numa banheira enquanto rola um sushi erótico às 3h da tarde no outro canal; filmes inesquecíveis e roupas esquecíveis; remédio de comer e comida com gosto de remédio. A época em que o absurdo fazia parte do normal e o normal era objeto não identificado por ninguém. Acomode-se, pegue seu cigarrinho de chocolate e seja bem-vindo de volta a mais efervescente das décadas: os anos 90.

Assunto: Infância, Nostalgia.

Editora: Outro Planeta.

Páginas: 240.

Ano: 2018.

Sobre o autor: Nogy atende pelo nome de Danilo na vida civil. Nasceu no final de 80 e cresceu durante 90: tão esquisito quanto a própria década. Na infância, botou fogo em um varal de fraldas de pano só por curiosidade, escrevia histórias em quadrinhos só pra ele ler e jogava pião no chão de terra batida como poucos. Na adolescência passou a ouvir bandas que ninguém conhecia, fundou um blog sobre música independente e começou a trabalhar numa loja de games de procedência duvidosa. Mais tarde trabalhou como comprador em uma multinacional, formou uma linda família e hoje em dia dedica-se integralmente ao Canal 90 no Youtube e suas quinquilharias noventistas guardadas no baú de casa.


Esse livro eu estava doida pra adquirir desde o lançamento, mas decidi esperar ficar num preço melhor. Eu sou daquelas entusiastas dos anos 90 (sempre acho que essa década foi uma loucura coletiva), e não tinha como não comprar esse livro e ficar nostálgica.

A capa é sensacional! Toda coloridona e com vários desenhos de referência dos anos 90, como: fita VHS, fita cassete, bunda, controle de vídeo game, toca disco, arma e cerveja. Podemos encontrar na capa também o autor, que possui um canal no Youtube que só fala de coisas dos anos 90. A diagramação é ótima e bem bonita. A leitura foi fácil e rápida.

Pra mim os anos 90 foi uma coisa de louco, mas lembro com carinho dessa época. Por mais que eu tenha só pegado o finalzinho, rola uma saudade. O livro faz a gente relembrar essa época e traz as coisas mais marcantes, tanto no entretenimento quanto em coisas do dia-a-dia. É engraçado pensar quanta coisa mudou de lá pra cá e como muitas coisas deixaram saudade, mesmo em um tempo que não tínhamos internet. As coisas muitas vezes eram difíceis, mas quem foi criança na época lembra com nostalgia das brincadeiras e de outras coisas na época. Me senti em um túnel do tempo e me peguei rindo sozinha em muitos momentos. Muito bacana poder relembrar tempos tão bons.

Eu indico esse livro para quem quer lembrar, de alguma forma, os anos 90. Anos em que tudo era permitido e que quem foi criança se divertiu bastante. Se você quer se sentir nostálgico, é uma ótima pedida. Eram tempos mais simples, mas que agente nunca vai esquecer.


No início de cada capítulo podemos ver imagens nostálgicas.

Esse livro eu comprei na Amazon e paguei R$ 25,68 nele.

O que você achou da resenha? Já leu esse livro? Tem interesse em ler? Deixe seu comentário aqui embaixo, estou doida para saber a sua opinião!

Beijoos ;*

sábado, 23 de novembro de 2019

Resultado do sorteio de 8 anos do blog!

Olá querido(a)!
Hoje venho aqui anunciar o/a ganhador/a do sorteio de sete anos aqui do blog (post completo aqui).
Gostei muito da participação de todos! Obrigada a todos que participaram!

Agora vou parar de enrolar e falar pra vocês quem ganhou...




Quem ganhou o sorteio foi a Andrea Teixeira. Ela cumpriu todas as regras e agora só estou aguardando ela me responder com o endereço.

E se você participou e não ganhou... Não fique triste! Espero poder fazer lá no Instagram (me segue lá @biigthais).

Beijoos ;*

sexta-feira, 22 de novembro de 2019

Inspiração: Música

Olá querido(a)!
Hoje é dia da música e eu podia ter feito uma playlist, mas não tenho escutado nada no momento (geralmente escuto as mesmas músicas velhas de sempre). Acho incrível como as pessoas são ligadas a música, eu não sou tanto assim. Gosto de algumas músicas, mas aquelas mais antigas. Acabo estando sempre as mesmas coisas e não me atualizo (tenho certeza que vocês não ia curtir minhas playlists). Por isso resolvi trazer algumas inspirações fotográficas que remetem a música. Aproveitem!











Lembrando que as imagens são de bancos de imagens gratuitos e podem ser usadas em qualquer lugar e de qualquer forma. Qual sua música preferida?  Deixe nos comentários!

Beijoos ;*

quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Resenha literária: Uma Dobra no Tempo

Olá querido(a)!
A resenha literária de hoje é sobre o livro Uma Dobra no Tempo.



Sinopse: Há mais de 50 anos, as palavras de Madeleine L’Engle encantam gerações de leitores e inspiram escritores a quebrarem as barreiras terrestres para explorar novos mundos. UMA DOBRA NO TEMPO é aquele tipo de livro que tem lugar cativo na estante e no coração dos leitores, e de vez em quando cai nas mãos de seu dono para que ele possa voltar no tempo. E verdade seja dita: quem se aventurou por suas páginas nunca mais enxergou noites escuras e tempestuosas da mesma maneira.A DarkSide® Books convida os leitores a embarcarem nessa viagem clássica reimaginada pela talentosa ilustradora Hope Larson.Em UMA DOBRA NO TEMPO, o pai de Meg e Charles Wallace, um exímio físico, está desaparecido há dois anos. A aventura começa quando, em uma noite de tempestade, eles recebem a visita de uma senhora peculiar, a sra. Quequeé, que foi tirada de sua rota pelo vento enquanto viajava pelo tempo e espaço utilizando o tesserato.Na companhia de mais duas criaturas sobrenaturais, a sra. Quem e a sra. Qual, e de um garoto chamado Calvin O’Keefe, eles partem pelo universo em busca de qualquer indício do paradeiro do dr. Murry. Mas o que eles descobrem vai muito além disso: todo o universo está sendo atacado pela Escuridão, uma força perigosa que traga a luz das estrelas e dos planetas, um verdadeira luta contra o mal.Roteirista das histórias da Batgirl, da DC Comics, e ganhadora de um Eisner Award, a maior honraria para um quadrinista, Hope Larson realiza um trabalho impecável ao reacender as memórias de quem cresceu na companhia de personagens tão carismáticos, ao mesmo tempo em que apresenta, com carinho e admiração, o universo de Madeleine L’Engle para uma nova geração de viajantes pronta para embarcar nessa jornada.E que jornada! UMA DOBRA NO TEMPO é uma aventura emocionante para todas as idades que discute temas importantes e eternos como coragem, aceitação das diferenças e a importância de acreditar em si mesmo. A jornada de Meg, uma garota comum e ao mesmo tempo extraordinária, nos mostra que existe um poder capaz de vencer qualquer obstáculo: o amor.Com interpretações vívidas que respiram nostalgia, seu traço cuidadoso ganha ainda mais frescor com o tom azulado que permeia as ilustrações, garantindo uma experiência completa. A DarkSide® Graphic Novel ganhou mais um quadrinho preparado com esmero, naquele padrão de qualidade que os darksiders já conhecem ― e que seria aprovado em qualquer lugar do tempo e espaço.Essa belíssima história também ganhou uma adaptação nos cinemas, em um filme da Disney estrelado por Oprah Winfrey, Reese Witherspoon e Mindy Kaling. Seja no cinema, nos livros ou nos quadrinhos, uma coisa é certa: UMA DOBRA NO TEMPO chegou para deixar o leitor querendo dar um jeito de tesserar por aí.

Assunto: Ficção Científica, Graphic Novel, HQ.

Editora: Darkside Books.

Páginas: 420.

Ano: 2018.

Sobre a autora: Madeleine L’Engle publicou mais de 60 livros e ganhou notoriedade pelos títulos voltados ao público jovem. Seu trabalho reflete seu interesse pessoal pela ciência moderna, e Uma Dobra no Tempo, publicado em 1962, não foge à regra. O livro, que se tornou seu trabalho mais conhecido e rendeu-lhe a honraria da Newbery Medal, continua conquistando leitores apaixonados por fantasia e ficção científica ano após o ano.


Esse livro eu comprei porque, como já falei, estou amando ler histórias em quadrinhos. Comprei esse livro meio que errado, mas acabei gostando.

O livro tem uma qualidade superior, premium, com sua capa dura e acabamento impecável. Essa capa possui cores de galáxia: roxo, azul e preto. Nela podemos visualizar um planeta escuro e no seu entorno os personagens da história. A capa também possui detalhes holográficos. A diagramação é perfeita! É um livro que você lê bem rapidinho, já que é em formato de quadrinhos.

O livro é mais uma Graphic Novel que adquiri para a minha coleção. A história é infantil, mas é bem gostosa de ler. A Meg é uma garota "estranha" e seu pai desapareceu tem algum tempo, mas sua mãe tem esperanças de que a qualquer momento ele vai aparecer. Na verdade, todos dizem que está a serviço do governo. Os pais da Meg são cientistas e ela tem três irmãos, dois são gêmeos e o outro, Charles Wallace é o que a compreende melhor. Em um dia de chuva ela, sua mãe e seu irmão recebem a visita de uma pessoa estranha, mas que Charles Wallace diz que é sua amiga. Esse é só um sinal que a aventura está prestes a começar: eles querem procurar pelo pai, e com isso levam o Calvin, que é um menino da mesma escolas que ele, junto. Muitas aventuras vão acontecer na vida dessas crianças. Será que vão conseguir resgatar o pai? Gosto do desenrolar da história, o que me incomodou um pouco na história foi o final: tudo pareceu fácil demais. Os personagens são cativantes, principalmente as senhoras misteriosas. Uma aventura bem interessante e que acho que pode agradar a todas as idades.

Recomendo esse livro para quem gosta de histórias em quadrinhos e ficção científica. Acho bem legal até para os pequenos. Uma boa história com um final que aquece os nossos corações.


O bacana é que logo que você abre a capa, você tem essa visão (o mesmo na parte de trás).


Aqui podemos observar um pouquinho das ilustrações que você vai encontrar nesse livro.


O diferencial desse livro é o marcador, que a maioria dos livros da editora possuem. 


O corte desse livro é colorido e deixa ele ainda mais bonito.

Comprei esse livro na Amazon e paguei R$ 45,80 nele.

O que você achou da resenha? Já leu esse livro? Tem interesse em ler? Deixe seu comentário aqui embaixo, estou doida para saber a sua opinião!

Beijoos ;*

quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Tag Hábitos Literários

Olá querido(a)!
Mais uma vez vim responder uma tag literária por aqui. Como leio bastante, acho legal poder compartilhar um pouco mais sobre isso do que apenas minhas leituras. Aqui você vai poder conhecer um pouco sobre mim e meus hábitos nesse momento que eu mais gosto. Essa tag eu vi no blog No Conforto dos Livros.


1. Tens um lugar específico na casa para ler?

Eu prefiro ler deitada na minha cama, porém leio em qualquer lugar. Muitas vezes leio na cozinha quando estou fazendo o almoço.

2. Marcador ou Pedaço de Papel?

Marcador, já que tenho vários tenho que usar.

3. Consegues parar simplesmente de ler ou tem de ser sempre no final de um capítulo ou a um certo número de páginas?

Eu gosto de parar no final dos capítulos, mas as vezes sou interrompida e paro no meio (depois fico perdida, kkk).

4. Comes ou bebes enquanto lês?

Geralmente mantenho um copo de água perto de mim (hidratem-se!).

5. Música ou TV enquanto lês?

Não. Barulhos me tiram a concentração. Quando lia dentro do ônibus, na época de faculdade, eu ficava bem irritada com barulhos (não sei nem como conseguia ler).

6. Um livro de cada vez ou vários ao mesmo tempo?

Prefiro ler um de cada vez, mas já li mais de um ao mesmo tempo (e me enrolei). Mas muitas vezes estou lendo dois, um digital e um físico.

7. Ler em casa ou em qualquer lugar?

Em qualquer lugar, mas leio mais em casa mesmo.

8. Ler em voz alta ou silenciosamente?

Depende, haha. Geralmente leio silenciosamente, mas quando não tem ninguém em casa eu leio em voz alta (mas aí fico com a garganta seca e paro).

9. Lês para a frente e/ou pulas páginas?

Eu não pulo páginas, leio certinho. Também não sou muito de espiar (só se os capítulos tiverem nomes diferentes, aí dou uma olhada).

10. Quebrar a lombada ou mantê-la como nova?

O bom seria mantê-la nova, mas muitas vezes não é o que acontece.

11. Escreves ou fazes anotações nos livros?

Alguns livros eu faço marcações a lápis, mas são mais livros de estudo. Livros de outros gêneros eu não marco nem rabisco nada, ficam intactos.

O que acharam das minhas respostas? Não vou indicar ninguém, mas quem quiser responder e me enviar ficarei bem feliz.

Beijoos ;*

terça-feira, 19 de novembro de 2019

Resenha literária: Stranger Fans

Olá querido(a)!
A resenha literária de hoje é sobre o livro Stranger Fans.



Sinopse: Quatro amigos inseparáveis se reúnem para uma partida de Dungeons & Dragons em uma casinha na pacata cidade de Hawkins. O temível Demogorgon parece incansável, o jogo termina tarde e já é hora de dormir. Os meninos sobem em suas bicicletas para voltar para casa, mas um deles nunca termina o caminho. Will Byers desapareceu misteriosamente, e algo estranho está prestes a acontecer... Desde sua estreia, em julho de 2016, Stranger Things se tornou um fenômeno global. A série é um mergulho completo nos detalhes vívidos e sensações de uma época: os adoráveis anos 1980. O clima de aventura, mistério, ficção científica e humor que ronda os filmes que mais amamos... Nada disso foi esquecido por Stranger Things. Outras produções audiovisuais tentaram evocar esse período e suas singularidades, mas nenhuma delas conseguiu um resultado que chegasse aos pés do sucesso da Netflix. Para muitos de nós, a década de 1980 significou bem mais do que um período de dez anos, e talvez o grande culpado por esse fenômeno seja o próprio tempo, que parecia avançar em um ritmo bem menos acelerado naqueles estranhos anos. Em Stranger Things, tudo remete a este período vivo, criativo e libertador: da trilha sonora do sintetizador às fontes retrô, dos nostálgicos acenos a Spielberg e Stephen King ao figurino impecável. E como amigos não mentem, a DarkSide® Books finalmente revela a surpresa que estava preparando para os leitores sedentos por muitas coisas estranhas: Stranger Fans ― A década de 80 no universo da série Stranger Things. O autor, Joseph Vogel, é fã de carteirinha da série e criou um documento completo que é uma verdadeira homenagem ao universo dos Irmãos Duffer. Falando de fã para fã, Vogel mergulha nos detalhes que tornaram essa década um terreno tão fértil para as ideias dos criadores de Stranger Things. Ele apresenta ainda informações preciosas e ilustrações de artistas que se inspiraram na sinergia sinistra que une a história, seus personagens e, é claro, os fãs. Um livro que evoca leitores e espectadores a compartilhar teorias e lembranças de uma série que veio para fincar raízes no imaginário pop mundial. Stranger Fans ― A década de 80 no universo da série Stranger Things é um livro completo que documenta quão imersa a série está na cultura dos anos 1980, desde sua trilha sonora até seus personagens, tecnologias e bicicletas. Entre as muitas curiosidades desvendadas por Joseph Vogel estão os videogames na casa de fliperamas Palace Arcade e como eles transformaram a cultura jovem nos anos 1980, os paralelos com et: O Extraterrestre, o contexto por trás de Dungeons & Dragons, como surgiram as caixinhas de leite com anúncios de crianças desaparecidas, os filmes e livros mais importantes para a série e muitas outras coisas que todo fã vai adorar saber. Prepare-se para entrar em uma verdadeira máquina do tempo. Se Stranger Things é uma carta de amor para os anos 1980, este livro é um guia minucioso para se apaixonar pela era revivida pela série.

Assunto: Anos 80, Cultura Popular.

Editora: Darkside Books.

Páginas: 304.

Ano: 2019.

Sobre o autor: Joseph Vogel nasceu e cresceu na década de 1980, e se apaixonou por Stranger Things no momento em que viu aquele logotipo esquisito e misterioso. Ao assistir o primeiro episódio, não teve dúvidas: era amor. Vogel é professor assistente no Merrimack College, em Massachusetts, e escreveu vários livros, incluindo Man in the Music: The Creative Life and Work of Michael Jackson e This Thing Called Life: Prince, Race, Sex, Religion, and Music. Seus textos já foram publicados na Atlantic e Slate, no Guardian, na Forbes, e no The Huffington Post. Stranger Fans é seu tributo à série de sucesso dos Irmãos Duffer, e mais um exemplo de livro de fã para fã da DarkSide® Books. Saiba mais em joevogel.net.


Comprei esse livro na pré-venda e demorou muito para chegar porque a editora teve algum problema na fabricação. Eu adoro a série Stranger Things e todo o universo dos anos 80, então fiquei bem interessada nesse livro.

Os livros da editora possuem sempre uma qualidade incrível e por isso todos possuem capa dura. Esse possui uma capa, bem anos 80, com uma televisão da época com título dentro. A diagramação é ótima. É um longo, porém fácil de ler.

Eu tenho que dizer que gostei do livro. O livro é basicamente uma análise sobre a série Stranger Things, contando sobre as inspirações que seus criadores usaram. Eu achei interessante porque é uma análise bem detalhada e de partes e cenas bem específicas. O que eu gosto é que várias coisas que fizeram parte da minha vida em algum momento serviram de inspiração e é essa ambientação que faz tanta gente gostar da série. Vemos no livro todo o cuidado dos criadores em produzir Stranger Things. Vi uma pessoa reclamando em uma avaliação do livro, já que essa esperava um almanaque e tal... Eu posso dizer que gosto muito mais do livro assim do jeito que é. O livro possui muitas ilustrações e layouts bonitos. Nele prevalecem as cores preto e vermelho, mas bem no finzinho temos várias artes super bacanas da série. Um livro que vai te levar de volta aos anos 80 e que vai fazer você enxergar Stranger Things com outros olhos, de uma forma mais analítica.

Recomendo esse livro pra quem gosta da série Stranger Things, já que é algo produzido para os fãs. Também é um livro bacana para quem quer relembrar os anos 80. Vale a pena a leitura!


O bacana é que logo que você abre a capa, você tem essa visão (o mesmo na parte de trás).


Aqui podemos observar um pouquinho do que você vai encontrar nesse livro.


Aqui podemos observar um pouquinho das ilustrações que você vai encontrar nesse livro.


O diferencial desse livro é o marcador, que a maioria dos livros da editora possuem. E o corte dele é em vermelho, o que deixa o visual ainda mais bonito.

Comprei esse livro no site da Darkside Books, na pré-venda, e paguei R$ 59,90 nele.

O que você achou da resenha? Já leu esse livro? Tem interesse em ler? Deixe seu comentário aqui embaixo, estou doida para saber a sua opinião!

Beijoos ;*