sexta-feira, 23 de abril de 2021

Tag literária: Redes Sociais

Olá querido(a)!
Como hoje é dia mundial do livro resolvi responder uma tag por aqui. Descobri essa tag no Portal Estante da Josy, mas pelo que eu vi foi criada por outra pessoa, o canal Faultdevices. Acho importante a gente falar de livros no dia do livro, ainda mais quando o nosso país quer taxar livros porque consideram que "só rico lê". Vamos continuar influenciando a leitura e contra essas taxas absurdas que acabam deixando as pessoas menos informadas. Informação é poder, por isso atacam nossos livros.


Twitter: Um livro que você quer compartilhar com todo mundo

Sapiens. Eu gosto muito de história do mundo e acho muito importante aprender sobre ela para entender como chegamos onde chegamos. Esse livro começa a narrar os primórdios da humanidade e para quem tem interesse no assunto, para mim, é o melhor livro nessa linha. Um livro grande que deve ser degustado aos pouquinhos.


Facebook: Um livro do qual você gostou e foi recomendado por outra pessoa

O Pequeno Príncipe. Li esse livro quando estava no fim do ensino fundamental. Foi uma amiga que me indicou e me emprestou o livro para fazer a leitura. Hoje ele é um dos livros que eu mais gosto e que traz muitos ensinamentos valiosos para a vida. Um livro que pode ser lido em qualquer idade porque de algum jeito vai tocar as pessoas que lerem.


Tumblr: Um livro que você leu antes de fazer o blog e não resenhou

A Saga Crepúsculo. Li no finalzinho do ensino fundamental e nessa época não tinha blog, por isso nada de resenhas deles. No caso eu e meus amigos discutíamos muito sobre os livros porque todos leram. E a gente leu bem antes de virar modinha e de ter previsão de lançar filmes.


Myspace: Um livro que você não tem a intenção de reler

A Culpa é das Estrelas. Não é de hoje que eu falo que não gostei desse livro. Já não tinha gostado do filme e me falaram que eu deveria ler o livro porque era muito melhor. Odiei, assim como outros dois livros que li do mesmo autor, mas acho que esse é o pior mesmo.


Instagram: Um livro com a capa bonita

Paraíso Perdido. Esse livro na versão da Darkside Books. Nessa versão esse poema tão famoso é colocado em uma publicação linda e com várias ilustrações. A capa é linda, o resto do livro também e eu amo o poema.


Youtube: Um livro do qual você gostaria de ver uma adaptação para o cinema

Jantar Secreto. Na verdade eu queria esse e os outros livros do Raphael Montes também, haha. Esse livro é um suspense incrível, surpreendente e sanguinário. Adoraria ver essa história tão interessante ganhar vida nas telonas.


Skype: Um livro com personagens com os quais você gostaria de conversar

Como Eu Era Antes de Você. Eu amo esse livro com todas as minhas forças e seus sucessores também, mas adoraria ser amiga da Louisa Clark. Para mim ela é uma personagem que a gente consegue se conectar de uma forma incrível. Acho que é uma pessoa que passou por muitas coisas na vida e adoraria conversar com ela. Também gostaria de conversar com o William Traynor.


Gostou dessa postagem? Já leu algum desses livros? Se você responder essa tag me envie, pois vou adorar ler suas respostas.

Beijoos ;*

quinta-feira, 22 de abril de 2021

Sessão pipoca: Amor e Monstros


Olá querido(a)!
O filme escolhido para a sessão pipoca de hoje foi Amor e Monstros.


Sinopse: Em Amor e Monstros, criaturas gigantes assumem o controle da terra, fazendo com que o resto da humanidade busque por refúgio no subsolo. Após sete anos do apocalipse dos monstros, Joel Dawson consegue se reconectar via rádio com Aimee, sua namorada da época de escola, e a paixão ressurge. Mesmo com ela vivendo a quase 130 km de distância, Joel percebe que não há nada que o prenda ao subterrâneo e resolve ir em busca de Aimee, apesar de todos os perigos que possam aparecer em sua jornada.

Gênero: Aventura, Comédia, Ficção Científica.


Estava de olho nesse filme desde que entrou no catálogo da Netflix, mas eu e minha irmã não animamos muito de assistir. Quando decidi que tentaria assistir alguns filmes que foram indicador ao Oscar, aí resolvemos dar uma chance. Ele está concorrendo na categoria de Efeitos Visuais.

Eu confesso que fiquei com muito medo de ser um filme ruim, mas no fim das contas gostei bastante. Eu sou um pouco suspeita para falar, porque adoro esses filmes com temática pós-apocalítica. Nesse filme se passaram 7 anos desde que a terra foi dominada por bichos com mutações que o fazem serem gigantes. Por esse motivo, as pessoas que permaneceram vivas vivem em bunkers ou em pequenas colônias, escondidos desses bichos. O filme gira em torno do amor que o Joel sente por sua antiga namorada e que pretende deixar seu bunker para encontrar com ela. Nisso ele segue em uma aventura perigosa num mundo de monstros para encontrar o amor. Nisso tudo tem muito humor e falas engraçadas, que me fizeram rir em muitos momentos e quebraram o clima tenso. Falando dos efeitos visuais, que foi o que fez o filme ser um dos indicados ao Oscar: eu gostei muito! Não achei os efeitos grotescos, nem nada do tipo. Os monstros ficaram com uma aparência real e foram bastante explorados durante o filme inteiro. Eu gostei, mas precisaria ver os outros filmes que estão disputando a categoria para cravar um chute sobre o vencedor.

Um filme que eu indicaria para toda a família assistir junta. Vai agradar tanto os mais novos quanto os adultos que gostam de uma boa aventura.


Você já assistiu esse filme? Deixe um comentário falando o que achou sobre ele e sobre a sessão pipoca de hoje, vou adorar saber a sua opinião :)

Beijoos ;*

terça-feira, 20 de abril de 2021

Resenha literária: 1984

Olá querido(a)!
A resenha literária de hoje é sobre o livro 1984.


Sinopse: Obrigado por acessar sua teletela e aproveite para conhecer uma das mais marcantes obras de ficção do século XX, agora em nova edição com 115 ilustrações de Rafael Coutinho, nova tradução de Antônio Xerxenesky e apresentação de Gregório Duviviver. O Grande Irmão está te observando. Em uma sociedade em constante estado de guerra contra outros países e contra os inimigos do sistema, cada cidadão deve viver sob a permanente vigilância das teletelas. Qualquer sinal de comportamento ou pensamento desviante da ideologia do Grande Irmão é severamente punido pela Polícia do Pensar. Funcionário do Ministério da Verdade responsável por reescrever notícias e registros históricos, Winston Smith atua alterando o passado e, assim, o presente. Treinado para obedecer e calar, ele começa, no entanto, a questionar essa realidade. Seus atos de rebeldia contra o sistema, como ousar manter um caderno subversivo, parecem mínimos, até que ele se depara com a oportunidade de fazer algo maior e colocar sua vida em risco por uma sonhada mudança. Publicado originalmente em 1949, este clássico de George Orwell é uma obra fundamental sobre opressão e totalitarismo e possibilita inúmeros paralelos com o momento que vivemos, 70 anos depois. A nova edição da Antofágica, além de contar com tradução de Antônio Xerxenesky, ilustrações de Rafael Coutinho e apresentação de Gregório Duvivier, também traz textos extras de Luiz Eduardo Soares, especialista em segurança pública, Débora Reis Tavares, estudiosa de Orwell, Ignácio Loyola Brandão, um dos principais autores contemporâneos e membro da Academia Brasileira de Letras e do jornalista Eduardo Bueno, criador do canal Buenas Ideias no Youtube.

Assunto: Distopia, Literatura Inglesa.

Editora: Antofágica.

Páginas: 439.

Ano: 2021.

Sobre o autor: George Orwell nasceu em 1903, sob o nome de Eric Arthur Blair, na Índia, onde seu pai trabalhava para o governo britânico. Depois de retornar para a Inglaterra e estudar como bolsista em Eton, uma das escolas mais tradicionais do país, Orwell decidiu trabalhar na Polícia Imperial, atuando na Birmânia. Ali, começou a analisar com viés mais crítico a experiência do colonialismo. Após um período de licença médica, optou por voltar à Inglaterra e finalmente se dedicar à carreira de escritor. Neste momento assumiu o pseudônimo e escreveu livros e artigos políticos, o que incluiu dividir experiências que viveu na pele ao lado da população mais explorada do sistema na Inglaterra, na França, e na Guerra Civil Espanhola. Trabalhando por um longo tempo como jornalista, escritor e ativista político, escreveu na última década de sua vida seus dois livros mais famosos, dois dos bestsellers mundiais até os tempos de hoje, A revolução dos bichos e 1984, ambos publicados pela Antofágica em 2021. Orwell faleceu em 21 de janeiro de 1950, padecendo de tuberculose e problemas respiratórios.


Esse é um clássico que eu sempre quis ler, mas nunca tomava coragem para começar. Acabei comprando numa super promoção essa edição da Antofágica e tomei coragem para começar a ler.

Eu acho a capa dessa edição perfeita! E ela me traz uma sensação estética de anos 80/90, talvez pelas cores. Nela temos um olho estilizado com uma pessoa dentro, que seria o Winston. O olho representa o grande irmão e a teletela que fica 24 horas vigiando as pessoas na história. Gosto muito da capa e gosto muito das ilustrações de dentro do livro. Um livro que demorei um pouco para terminar de ler.

"Todavia, os problemas de perpetuar uma sociedade hierárquica são mais profundos. Só há quatro maneiras de um grupo dominante perder o poder. Ou é conquistado por alguém de fora, ou governa de forma tão ineficaz que as massas são levadas a se revoltar, ou permite que um grupo Médio forte e descontente se desenvolva, ou perde a autoconfiança e vontade de governar. Essas causas não atuam de maneira isolada, e como regra, todas as quatro estão presentes até certo grau. Uma classe dominante capaz de se proteger contra todas elas ficaria no poder para sempre. Ao fim, o fator definitivo é a atitude mental da classe dominante em si."

Confesso que no início do livro achei a história um pouco monótona, mas acho que é proposital. A vida nessa realidade contada é monótona, chata, uma rotina em que você não tem escolha. Você vive para o Grande Irmão. Quando o Winston começar a se rebelar é que as coisas começam a ficar interessantes. Apesar de ser uma ficção, é um livro que remete muito aos nossos cenários atuais. Foi publicado em 1949, mas parece uma previsão do que viria a acontecer no futuro. As teletelas podem ser comparadas a todos os dispositivos que utilizamos com acesso a internet. Neles nos vemos todos e todos nos vem, e eles nos monitoram também, mas com um viés capitalista da coisa. Temos as mentiras que o Partido, no livro, coloca como verdade. Nos dias atuais temos as fake news que são utilizadas para acabar com reputações e enganar a população. Ou seja, muitos elementos atuais numa história fictícia. A história mexeu bastante comigo e eu adorei. Talvez tenha se tornado um dos meus livros preferidos de distopia, ao lado do Conto da Aia.

Para quem gosta de uma boa distopia, essa é uma boa pedida. Um livro que faz a gente refletir sobre a sociedade de ontem e de hoje.


O que você achou da resenha? Já leu esse livro? Tem interesse em ler? Deixe seu comentário aqui embaixo, estou doida para saber a sua opinião!

Beijoos ;*

segunda-feira, 19 de abril de 2021

A falta que sinto dos amigos

Olá querido(a)!
Ontem foi dia do amigo e eu não poderia deixar de escrever sobre isso.


Saudades dos meus amigos, que nesses tempos difíceis estão distantes. Não distantes porque querem, mas porque se faz necessário. Não os vejo tem mais de um ano e só nos falamos intermediados por telas. Parece que o futuro chegou, não é mesmo?

Não tenho nem muito o que falar sobre as amizades: quem estava distante, agora sumiu de vez; quem estava perto, continua estando por aqui. A quarentena é só um momento, que espero que passe logo. Por mais que nos falemos sempre, não acho que é o melhor meio. Falta a presença e o toque amigo, falta o cara a cara.

Nesse dia do amigo não quero focar nos tipos de amizade, mas na importância de ter um amigo. E é triste pensar que, nesse momento, não estamos fazendo novos amigos. Parece que a vida parou no ano passado e ficou desse jeito. Mas nunca esqueci dos meus amigos.


sexta-feira, 16 de abril de 2021

Na telinha: Ugly Betty

Olá querido(a)!
Hoje eu vim falar da série Ugly Betty.


Eu amava essa série quando era mais jovem. Me lembro que assistia episódios aleatórios no SBT, mas nunca tinha assistido ela inteira. Quando vi que estava disponível no Disney+ resolvi assistir a série completa.

"Betty Suarez é inteligente, doce e esforçada. O único problema é que ela não é tão magra e bonita quanto suas colegas de trabalho na Mode, a revista de moda em que ela trabalha. O único motivo que o editor teve para contratá-la para ser a secretária de seu filho, é que ele achava que Betty seria alguém com quem Daniel não passaria noites. Mas o trabalho esforçado e a determinação da garota ganham o respeito de Daniel, à medida que ela o ajuda a entender o sombrio e conturbado mundo da moda."


Assistindo essa série novamente percebi que ela me lembra muito Jane A Virgem. Apesar de as histórias serem completamente diferentes, acho que seguem uma linha bem parecida. Histórias que eram para ser normal tomam enredos bem fantasiosos, o que eu não acho ruim. Acho que toda a graça dessa série acaba vindo dessas situações loucas que acontecem. Ao longo das temporadas conseguimos ver a evolução da Betty como profissional e a aparência também. Ahh, e a Betty é quase uma Poliana, já que ela sempre está de bem com a vida e com as pessoas, mesmo que essas sejam ruins com ela. Meu núcleo preferido é a família da Betty, que é muito engraçada. Acho que a parte cômica é que a Betty, que todo mundo julga não ter estilo, trabalha numa revista de moda. Eu adorei assistir e me deu uma nostalgia gigante, porque a trilha sonora é maravilhosa.

A série possui 4 temporadas, com o total de 86 episódios de 43 minutos cada. É uma série um pouco longa, mas bem divertida; É uma série de comédia e drama. Pra quem gosta de moda, mas também gosta de dar uma boa risada, essa é a série. Confesso que nem acho a Betty tão cafona assim e acho que ela poderia muito bem fazer parte de Gossip Girl, haha. Você pode assistir na Disney+.


Já assistiu essa série? Deixe seu comentário pra eu saber a sua opinião!

Beijoos ;*

quinta-feira, 15 de abril de 2021

Olhei e gritei: ARTE!

Olá querido(a)!

Pensei muito sobre o que postaria hoje por aqui e não me vinha nada a cabeça. Precisava escrever um texto falando sobre arte para o dia mundial da arte, mas nada me vinha a cabeça. As palavras me faltam nesse momento.


Pra mim a arte está em tudo. Me lembro que quando eu estudei história da arte levantávamos muitos questionamentos, sobre o que realmente era arte e quem definia isso, mas tudo só me deixava confusa. Acho bizarro termos pessoas para definir o que é arte ou não.

Expressões artísticas surgem de várias formas, mas as mais populares são as pinturas. Eu sou aquela que gosta mais das obras de arte literárias, já que essas me trazem emoções e me transportam para lugares incríveis. Mas outros tipos de artes também me emocionam: como filmes, músicas, dança e mil outras coisas.

A arte emociona. A arte entretêm. A arte é pop. A arte é tudo. Viva a arte!

No fim das contas, escrevi mais que o programado. Mas tudo isso foi apenas para compartilhar com você um vídeo da Bruna Vieira que gosto muito, Meu corpo virou poesia. Em breve ela vai lançar um livro inteiro com essa temática e eu estou ansiosa para lê-lo. Por enquanto, vamos apreciar esse lindo texto/vídeo/poema/arte.


terça-feira, 13 de abril de 2021

Dia do beijo: 5 batons para beijar muito

Olá querido(a)!
Hoje é dia do beijo e eu resolvi trazer um pouco de cor por aqui. Por isso vou mostrar 5 batons pra beijar muito sem borrar o batom, haha.


Imagino que em tempos de pandemia o uso e consumo de batom diminuíram bastante, já que temos sempre que utilizar máscaras, mas nada impede de passar de vez em quando só pra dar close. Se no dia de hoje for encontrar o boy, surpreenda usando um batom bem bonito.

Vamos aos meus escolhidos para hoje! Optei por batons com alta durabilidade, para agradar as beijoqueiras, e de cores variadas, para agradar todos os gostos.



O que achou desses batons? Já usou algum deles? Qual a sua cor favorita? Me conta aí nos comentários!

Beijoos ;*

segunda-feira, 12 de abril de 2021

Resenha literária: Desastres Sexuais

Olá querido(a)! 
A resenha literária de hoje é sobre o livro Desastres Sexuais.


Sinopse: Desastres sexuais podem acontecer em qualquer lugar, com qualquer um. Seja no ambiente de trabalho, durante um blackout ou numa floresta com dois selvagens gostosões; pode vir em forma de desventuras durante toda uma vida, um encontro malsucedido com um cara do Tinder, entre verdadeiros amigos e até pode acontecer somente na sua cabeça, em forma de mecanismo de defesa para evitar acidentes reais. São tantas formas de dar errado que parece que o sexo é um caminho sem volta rumo ao perigo iminente. Mas, quando dá certo... é maravilhoso, não é mesmo? De uma coisa não há dúvida: esses acidentes, grandes ou pequenos, sejam onde ou com quem for... Serão lembrados para sempre. Eles marcam cada história como uma tatuagem e possuem a grande capacidade de provocar risadas. Dentro desse mundo de possibilidades, sete autoras se juntaram para mostrar o seu talento e criatividade em uma obra que promete arrancar suspiros, gargalhadas, calorzinho e até mesmo a revolta. Junte-se a nós nessa aventura — ou seria desventura? — e venha desbravar o vasto universo dos desastres sexuais.

Assunto: Comédia, Romance.

Editora: Publicação Independente.

Páginas: 441.

Ano: 2019.


Se eu não me engano, vi esse livro na página de livros grátis da lojinha do Kindle e fiquei bem interessada, já que conheço uma das autoras. Fiquei bem interessada porque já imaginava que seria bem divertido.

A capa me agrada bastante, já que acho ela divertida e bonita. A capa possui tons amarelos, um par de pernas com saltos altos e uma placa de atenção. Tudo nela remete a desastres, haha. Acho que tem tudo a ver com o título. Um livro que li rápido.

"Já passou da hora de ser muito bem comida por um cara real."

Só posso dizer que esse livro deixou meus dias muito mais divertidos. É um livro com vários contos sobre desastres na hora "H". Eu terminava um conto, ansiosa para ler o próximo. Também foi uma boa forma de conhecer outras autoras, já que conhecia apenas uma delas. Um livro super bacana pra quem está procurando algo alto astral. Acho que é uma boa leitura de respiro, já que é fácil e bem gostoso de ler. Eu gostei bastante e já estou lendo as outras edições.

Um livro indicado para todos que já tiveram desastres sexuais, ou para quem quer rir do desastre dos outros. Um ótimo livro de respiro para dar uma afastada daquela leitura mais pesada.


O que você achou da resenha? Já leu esse livro? Tem interesse em ler? Deixe seu comentário aqui embaixo, estou doida para saber a sua opinião!

Beijoos ;*

sexta-feira, 9 de abril de 2021

Resenha: Elseve Quera-Liso MQ

Olá querido(a)!
Hoje vou fazer a resenha da linha Elseve Quera-Liso MQ da L'Óreal Paris.


Inovação - com proteção até 230ºC
Sem Sal

A linha Elseve Quera-liso MQ foi desenvolvida especialmente para lisos com escova. Com a tecnologia de Micro queratina (MQ) + Thermo protect, promove um liso solto e perfeito fio a fio. Com proteção térmica até 230°C, protege os fios da agressão do calor e mantem o efeito anti-frizz. Conheça a linha completa!


CONSELHOS DE USO: Aplique nos cabelos molhados e massageie suavemente. Enxágue. Repita a operação se necessário. Para cabelos ainda mais reconstituídos, utilize a linha completa Elseve Quera-Liso [MQ].


CONSELHOS DE USO: Aplique em todo comprimento até as pontas. Deixe o produto agir. Enxágue abundantemente. Para cabelos ainda mais hidratados, utilize a linha completa Elseve Quera-Liso [MQ].


O shampoo reconstituinte e o condicionador reconstituinte contém 200 ml e custam em torno de R$14,00 cada.

O meu felling sobre essa linha de produtos é positivo. Essa é uma marca que gosto bastante, e uso essa linha a anos (nem sei porquê nunca falei dela por aqui). Como sou uma pessoa que anos faço escova progressiva, gosto muito desse produto. Na minha opinião ele ajuda a manter os cabelos com escova com uma aparência bem bonita e acho que prolonga o efeito da escova também. A consistência dos dois produtos são mais firmes, e o shampoo tem aquela cor perolada que é mais hidratante. Eu gosto bastante da embalagem, acho essa combinação de cores linda, e o cheirinho é de limpeza, do jeito que eu gosto. Acho que hidrata os cabelos e os deixa bem bonitos e cheirosos, sem contar que ajuda a manter a escova progressiva por mais tempo. Não acho que é um produto tão barato, é mediano, mas eu gosto pela qualidade. Acho que é um dos produtos indispensáveis para quem é adepto da progressiva.


Você já conhecia essa linha? Gostou dessa resenha? Conte nos comentários!

Beijoos ;*

quinta-feira, 8 de abril de 2021

Sessão pipoca: Muito Bem Acompanhada

Olá querido(a)!
O filme escolhido para a sessão pipoca de hoje foi Muito Bem Acompanhada.


Sinopse: Há 2 anos atrás Kat Ellis foi abandonada no altar. Agora sua irmã, Amy, está prestes a se casar e terá como padrinho de casamento justamente seu ex-noivo. Decidida a demonstrar ter superado o abandono, Kat contrata Nick Mercer como seu acompanhante no casamento. O que Kat não esperava era que Nick conquistasse a simpatia de sua família, demonstrando ser um genro perfeito e objeto de desejo de qualquer mulher. Aos poucos ela nota que a relação que possui com Nick, que era para ser de fachada, torna-se cada vez mais séria.

Gênero: Comédia, Romance.


Esse é um filme que assisti várias vezes e que achei que já tinha falado por aqui, mas descobri que não. Resolvi compartilhar porque assisti novamente esses dias e continua sendo um dos meus filmes preferidos. Assisti no Telecine, mas também tá disponível na Netflix.

Esse filme é pra quem, como eu, é viciada em comédias românticas. Eu amo que a história é sobre uma mulher que foi abandonada no altar e que agora está prestes a encontrar o ex-noivo no casamento da sua irmã. Para não mostrar como ainda sofre pelo que aconteceu, ela decide contratar um "acompanhante" para ir com ela ao casamento. Ela não esperava que o cara fosse bonito, inteligente e interessante. Então a gente já espera pra onde essa história vai né? Eu aaaamooo! E eu acho o ator que faz o acompanhante perfeito! Até eu me apaixonaria, haha. É um filme bem água com açúcar, mas eu adoro!

Indico esse filme para quem ama uma comédia romântica bem fofinha. Um filme bem divertido pra quem quer algo levinho e que vai aquecer o coração.


Você já assistiu esse filme? Deixe um comentário falando o que achou sobre ele e sobre a sessão pipoca de hoje, vou adorar saber a sua opinião :)

Beijoos ;*

quarta-feira, 7 de abril de 2021

Saúde para quem?

Olá querido(a)!
Hoje é dia mundial da saúde, mas saúde para quem?


A um ano atrás entramos em uma pandemia de grandes proporções. Continuamos nela até hoje, enquanto outros passaram por ela. Naquele tempo chorávamos os mortos que nem eram tantos, hoje são muitos, mas parece que ninguém mais liga.

Eu sempre digo que é difícil pra gente se emocionar com números. Números e estáticas impressionam num primeiro momento, mas rapidamente a gente acaba deixando pra lá. Em um desastre, como um acidente aéreo, todos se comovem, mas as somas das mortes diárias uma hora deixam de fazer efeito. Quando a gente para para pensar que as pessoas que morreram tinham sua história, seus sonhos, sua vida... É que a coisa começa a doer. Dói mais ainda quando a pessoa é uma conhecida nossa, um amigo, ou um parente.

Aquele cuidado de início da pandemia foi deixado para trás e hoje tudo está uma grande bagunça. Quando tudo começou a fé na humanidade era gigante. A humanidade vai sair melhor dessa. Mero engano! O egoísmo impera e todo mundo enfiou a empatia no c*. Os cuidados diminuíram e a preocupação com a doença também.

A população possui sua parcela de culpa, mas os governantes também. Estar rodeada de governantes que sempre diminuíram o poder do vírus e que nunca se preocuparam em dar o exemplo é realmente uma das partes mais complicadas. Seres humanos aprendem melhor pelo exemplo, mas com exemplos ruins a gente apenas se torna pessoas piores. 

Usar máscara, álcool em gel e evitar aglomerações são só algumas das atitudes preventivas. Nos cenários mais extremos o lockdown se faz necessário, porém temos o problema econômico. O governo deve dar ajuda a população, afinal a gente paga imposto para que? Pra eles encherem o c* de dinheiro?

Hoje vivemos o pior dos cenários. Depois de uma baixa nas mortes, as coisas começaram a piorar novamente. Como eu disse, a falta de cuidado fez isso acontecer. O governo com seus discursos desonestos, acaba com a população aos poucos.

Eu juro que tento enxergar uma luz no fim do túnel, mas anda bem difícil. A crise na saúde atinge pobres e ricos, a única diferença é que os ricos acabam tendo mais conforto mesmo. A gente tem visto tanta gente em estado grave, tanta gente morrendo... E nem venha me falar em abrir mais leitos, porque mais leitos demandam mais profissionais e não temos mais profissionais. Alguns morreram nessa luta, outros tem dado tudo de si. Todo mundo fala sobre a saúde mental estar uma porcaria por estar tanto tempo em casa, imagina a saúde mental dos trabalhadores da área da saúde? Eles estão vendo um monte de gente morrer, trabalhando em plantões exaustivos, privados de ter férias... E vocês aí aglomerando...

Vamos ter empatia com os outros e com a gente. Não vai ter plano de saúde que segure uma crise na saúde. Quando o sistema entrar em colapso, como eu diria que já está, eu espero que você não precise dele. Se precisar, vai ser um jogo de sorte. Como eu sempre digo: não quero dar sorte para o azar, por isso é sempre bom seguir com os cuidados e evitar sair de casa. Se cada um fizer a sua parte, a gente sai dessa. Não quero viver o hoje e não ter o amanhã. Quero ter os dois, por isso vivo o hoje pensando em estar bem no amanhã quando tudo isso passar.

Saúde para quem? Todos estão no mesmo mar, alguns num barquinho a remo e outros em iates luxuosos. Porém a doença não olha classe social, nem avisa se você vai ser comtemplado com a versão mais fraca ou mais forte dela. Então vamos continuar tomando os cuidados necessários, esperar a vacinação e ver o que vai dar. Vamos esperar esses números diminuírem até zerar. É o meu desejo nesse momento!

terça-feira, 6 de abril de 2021

Resenha literária: A Grande Gripe

Olá querido(a)!
A resenha literária de hoje é sobre o livro A Grande Gripe.


Sinopse: Best-seller apresenta o estudo definitivo sobre a gripe espanhola e suas consequências Em 1918, um novo vírus influenza, até então restrito às aves, passou a se manifestar também em humanos. Um ano mais tarde, o saldo era de cerca de 100 milhões de mortos naquela que ficaria conhecida na história como gripe espanhola, marcando o primeiro grande embate entre a ciência e uma pandemia. Em apenas dois anos o vírus matou mais pessoas do que a Aids em todo o mundo ao longo dos 24 anos desde a sua descoberta, e mais pessoas em um ano do que a peste bubônica ao longo de um século. Em A grande gripe, John M. Barry conta a história do surto que começou em uma base militar no Kansas, Estados Unidos, chegou à Europa durante a Primeira Guerra Mundial levado pelas tropas americanas e de lá se espalhou para o restante do planeta. O pesquisador mostra ainda a corrida contra o tempo da comunidade científica norte-americana para combater a pandemia e como se deu uma das principais descobertas da medicina do século XX. Obra de referência sobre a gripe espanhola, premiada pela Academia Nacional de Ciência dos Estados Unidos e best-seller internacional, o livro é também um relato sobre poder, política e guerra, com importantes lições para um mundo sob a constante ameaça do bioterrorismo e do surgimento de novas epidemias globais. Barry crê que, nesses casos, a principal arma é sempre a informação.

Assunto: História.

Editora: Intrínseca.

Páginas: 608.

Ano: 2020.

Sobre o autor: John H. Barry é historiador e jornalista, autor de Rising Tide: The Great Mississippi Flood of 1927 and How It Changed America; Power Plays: Politics, Football, and Other Blood Sports; The Transformed Cell: Unlocking the Mysteries of Cancer (em coautoria com Steven Rosenberg); e The Ambition and the Power: A True Story of Washington. Ele se divide entre Nova Orleans e Washington.


Esse foi um livro que na pré-venda eu já estava de olho nele. Ficou por um tempo na minha listinha de desejos e quando o consegui, devorei.

Eu não acho essa capa bonita, mas ela nem tem que ser bonita mesmo não. Nela podemos ver vários leitos. Temos o título em vermelho para chamar atenção e em amarelo o subtítulo. Um livro que demorei alguns meses para terminar.

"A lição derradeira de 1918, uma simples e ao mesmo tempo a mais difícil de executar, é que as autoridades devem diminuir as chances de que o pânico aliene a todos. A sociedade não pode funcionar com cada um cuidando de si. Por definição, nenhuma civilização sobrevive assim.

Quem está no poder deve confiar no povo. Não deve distorcer nada, nem enfeitar ou tentar manipular as pessoas. Lincoln já havia dito isso, e da melhor forma.

Um líder deve tornar real qualquer terror. Só assim as pessoas serão capazes de enfrentá-lo."

Esse foi um livro que tive uma dificuldade imensa de ler. Um dos motivos foi ele ser muito grande e outro é que nem todos os capítulos me interessavam. Isso não quer dizer que o livro é ruim, é um livro incrível, mas é uma leitura bem longa. Eu gostei de poder entender mais sobre os vírus da gripe e também saber mais sobre uma pandemia que devastou o mundo lá atrás, mas alguns capítulos focam em alguns "personagens" específicos, e esses me deixavam um pouco entediada. O que eu mais percebi durante o livro é que a humanidade comete sempre os mesmos erros. A história é um conteúdo importante, mas a gente não dá o devido valor. Quando a gente se atenta a história, podemos conhecer o passado, compreender o presente e até prever coisas que podem vir a acontecer. No caso desse livro mostra que as pandemias acontecem e que tomando as medidas certas as coisas podem desenrolar de maneira menos trágica. É difícil comparar o passado com o que vivemos agora, mas na era da informação sempre fico chocada o quanto as pessoas são desinformadas. Uma pandemia fora de controle no passado a gente até entende, já que não havia tanta informação e a medicina ainda estava começando a despontar. Hoje em dia acho que uma pandemia teria mais chance de ser contida, mas a gente tá vendo na prática que as coisas não são bem assim, principalmente aqui no Brasil.

Eu indico esse livro para todos que querem entender um pouco das gripes e voltar na história para um momento crítico que o mundo passou. Eu não sei pesar se esse é um bom livro para ler no momento em que estamos, mas para mim foi uma leitura bem interessante e rica. Porém, acho que por estarmos vivendo em uma pandemia, pode deixar você um pouco mais ansioso e triste.


O que você achou da resenha? Já leu esse livro? Tem interesse em ler? Deixe seu comentário aqui embaixo, estou doida para saber a sua opinião!

Beijoos ;*

segunda-feira, 5 de abril de 2021

Minhas leituras de março de 2021

Olá querido(a)!
Hoje vim compartilhar minhas leituras do mês com você. Se você não viu minhas leituras de Fevereiro, você está esperando o que? No mês passado não li tanto, porque estava organizando as coisas aqui em casa depois da mudança. Mas estou feliz de ter conseguido fazer pelo menos duas leituras. Quero muito ler mais, mas ando tão ansiosa que isso tem me prejudicado.

1- 1984


2- Desastres Sexuais: Férias!


O que achou dos livros que eu li? Me conta aí quais foram suas leituras do mês passado!

Beijoos ;*

sexta-feira, 2 de abril de 2021

Resenha: Elseve Arginina Resist X3

Olá querido(a)!
Hoje vou fazer a resenha da linha Elseve Arginina Resist X3 da L'Oreal Paris.


Alta fortificação sem pesar
Controle de queda

1- Reforça a fibra
2- Nutre o bulbo capilar
3- Cabelo cresce mais forte

Cabelos fragilizados ou com queda? A linha Elseve Arginina Resist X3 foi desenvolvida para fortalecer os fios. Com a tecnologia de arginina + ceramida atua no controle da queda, reforçando a fibra, nutrindo o bulbo capilar e ajudando o cabelo crescer mais forte.


CONSELHOS DE USO: Aplique nos cabelos molhados e massageie suavemente. Enxágue. Repita a operação se necessário. Para cabelos ainda mais fortes e resistentes, utilize a linha completa de tratamento Elseve Arginina Resist X3.


CONSELHOS DE USO: Aplique em todo comprimento até as pontas. Deixe o produto agir. Enxágue abundantemente. Para cabelos ainda mais fortes e resistentes, utilize a linha completa de tratamento Elseve Arginina Resist X3.


O shampoo fortificante e o condicionador fortificante contém 200 ml e custam em torno de R$14,00 cada.

O meu felling sobre essa linha de produtos é neutro. Essa é uma marca que gosto bastante, mas nunca tinha usado essa linha em específico. Sempre gostei muito de tudo que usei e pensei que essa linha seria ideal para esse meu momento. Tenho muita queda de cabelos e vi aqui uma possibilidade de diminuir isso, mas não vi nenhuma diferença. Pode ser também porque eu alterno o uso com outra linha que eu gosto muito. A consistência dos dois produtos são mais firmes, e o shampoo tem aquela cor perolada que é mais hidratante. Eu gosto bastante da embalagem, ainda mais com essas cores, e o cheirinho é perfeito. Acho que hidrata os cabelos e os deixa bem bonitos e cheirosos, mas não senti diferença na questão da queda (imagino que tenho que usar por mais tempo). Não acho que é um produto tão barato, é mediano, mas eu gosto pela qualidade. Espero que usando por mais tempo eu consiga ver a diferença na questão da queda.


Você já conhecia essa linha? Gostou dessa resenha? Conte nos comentários!

Beijoos ;*

quinta-feira, 1 de abril de 2021

Na telinha: Cidade Invisível

Olá querido(a)!
Hoje eu vim falar da série Cidade Invisível.


Essa série estreou já tem um tempo e fiquei com vontade se assistir, mas fiquei enrolando. Uma amiga assistiu e falou que era muito boa e eu precisava assistir, aí separei um tempinho e maratonei.

"Em Cidade Invisível, um mundo subterrâneo é habitado por criaturas míticas evoluídas de uma linhagem profunda do folclore brasileiro. Em um período conturbado, um detetive se encontra preso em uma investigação de assassinato que o coloca no meio de uma batalha entre esses dois mundos."


Essa série me remeteu a memórias da infância, já que muito nova eu achava o folclore brasileiro muito interessante. O grande problema que enfrentei foi estudar muito pouco sobre o assunto na escola, ter alguns poucos livros sem aprofundamento no tema e o Sítio do Picapau Amarelo. Quando eu vi essa série trazendo esse enredo tão rico, fiquei super interessada. Confesso que apesar de gostar muito da história, achei que faltou algo. Mas eu adorei as lendas que apareceram ali, porém senti falta da mula sem cabeça. Outra coisa que aconteceu comigo é que tiveram lendas que eu nunca ouvi falar. Também senti a falta de uma explicação de cada lenda, já que achei tudo muito jogado. Acho que isso até dificulta o entendimento de quem não conhece. Talvez seria até interessante a produção de uma série em que cada episódio eles contam uma lenda (ficaadica Netflix). No fim das contas eu gostei e espero pela próxima temporada.

A série possui uma temporada, com o total de 7 episódios de 40 minutos cada. É uma série bem curtinha. É fácil de maratonar em um dia. É uma série de drama e fantasia. Pra quem tem interesse em folclore brasileiro, vai gostar demais. Acho o nosso folclore muito rico e espero por mais produções desse tipo. Você pode assistir na Netflix.


Já assistiu essa série? Deixe seu comentário pra eu saber a sua opinião!

Beijoos ;*